Especialidade de Ciclismo Respondida - Desbrava7 | Especialidades Respondidas | Desbravadores

Especialidade de Ciclismo Respondida

em 26/08/2022

Antes de ir conferir a Especialidade de Ciclismo Respondida, leia com atenção a seguir:

1. Não entregue o relatório sem estudar, eu quero ajudar vocês, mas a intenção nunca foi investir pessoas que não merecem ser investidas.

2. No final da página se encontra todas as fontes de pesquisa, para se aprofundar mais sobre os assuntos, dê uma olhada.

3. Revise as respostas, nem sempre acertamos, acontece um erro aqui, outro ali.

Agora pode ir conferir a especialidade e adicionar mais uma na faixa!

Especialidade de Ciclismo Respondida

Especialidade de Ciclismo Respondida



1. Faça uma relação com o nome das peças de uma bicicleta. Descrever o propósito de cada uma.



1. Quadro: É a principal estrutura de bicicleta, é onde boa parte dos demais componentes são instalados. Na região superior são fixados, o selim e na inferior, câmbio dianteiro, o movimento central e a pedivela. Na Frente, o garfo (rígido ou de suspensão) e na traseira, a roda, o câmbio e o freio traseiro. 
Nome da peça em inglês: Frame.

2. Garfo (Rígido ou Suspensão Dianteira): Uma bike pode possuir 2 tipos de garfos: Rígido (sem amortecimento) e com suspensão/amortecedor. Esta peça abriga a roda dianteira, se conecta com o sistema de direção da bicicleta (guidão e mesa), passando pelo quadro da bicicleta através do A-Headset.
Nome da peça em inglês: Garfo Rígido – Fork e Suspensão Dianteira – Front suspension.

3. Ou Headset, A-Headset ou Caixa de direção: Encaixado ao quadro da bicicleta recebe o garfo ou suspensão dianteira. Na parte superior do garfo ou suspensão dianteira é conectada a mesa que é presa por uma peça que faz parte do headset chamada aranha.
Nome da peça em inglês: A-headset.

4. Guidão: Peça tubular fixada na mesa destinada a orientar a direção da bicicleta.
No guidão são fixados, além das manoplas, às manetes de freio e alavancas de câmbio.
Nome da peça em inglês: Mountain bike handle-bar para bicicletas do tipo Mountain Bike e Road handle-bar para bicicletas de estrada ou speed.

5. Ou Mesa: A mesa ou avanço é o componente onde é afixado o guidão, a mesa é presa à espiga do garfo (rígido ou de suspensão) através do A-headset (caixa de direção).
Nome da peça em inglês: Stem.

6. Pedivela: As pedivelas são duas peças que são conectadas ao eixo do movimento central. Uma pedivela tem coroas dentadas e outra não tem coroa é apenas uma alavanca para acionamento dos pés. As pedivelas estão deslocadas entre si em 180 graus.
Nome da peça em inglês: Crank.

7. Movimento Central: Peça instalada no quadro da bicicleta, onde são fixadas as pedivelas nos lados direito e esquerdo.
Nome da peça em inglês: Bottom bracket.

8. Pedal: Peça fixada à pedivela que é destinada a acomodar os pés do ciclista.
Nome da peça em inglês: Pedal

9. Freio: Os freios podem ser a disco, V-brake, catilever ou ferradura. São acionados por meio de cabos de aço através do acionamento do manete de freio. As bicicletas com freios a disco possuem funcionamento similar ao mesmo sistema dos automóveis, possui um disco instalado no cubo da roda e freio a disco preso ao quadro e ao garfo da bike.
Nome da peça em inglês: Freio – Brake, Disc Brake – Freio a disco.

10. Pneu: Parte de borracha que tem a função de permitir o contato ao solo com aderência e atrito adequados, possibilitando assim o arranque, a frenagem e a pilotagem.
Nome da peça em inglês: Tire.

11. Aro: Os aros de roda normalmente são feitos de alumínio, nos aros são colocados a câmara de ar e o pneu. Nome da peça em inglês: Rim; Roda da Bicicleta - A roda da bicicleta é uma estrutura formada pelo Pneu, Aro, Raios e Cubo. Pode ter ou não câmara de ar. As rodas são montadas sobre um aro e um cubo central com raios que ligam ambos. Nome da peça em inglês: Wheel; Raio - Raios são barras que unem de forma rígida, a zona central (cubo) à perimetral (aro) formando a roda da bicicleta.
Nome da peça em inglês: Spoke.

12. Selim: O selim também é conhecido como sela, banco ou coxim é o assento para a acomodação do ciclista.
Nome da peça em inglês: Saddle.

13. Alavanca de Câmbio: Também conhecido como trocador ou passador de marchas, normalmente uma bicicleta possui duas alavancas de câmbio que servem para acionar o câmbio dianteiro e traseiro da bicicleta.
Nome da peça em inglês: Shifter ou Shift lever.

14. Ou Câmbio dianteiro: Peça responsável pelas mudanças de marchas da bicicleta, com a passagem da corrente entre as coroas do pedivela.
Nome da peça em inglês: Front derailler.

15. Ou Câmbio traseiro: Peça responsável pelas mudanças de marchas da bicicleta, com a passagem da corrente entre os anéis dentados do cassete ou da catraca.
Nome da peça em inglês: Rear derailler.

16. Protetor de câmbio: Peça responsável pela proteção do cambio traseiro da bicicleta, dando mais proteção ao câmbio na hora da pedalada.

17. Protetor de raios: Responsável para evitar que a corrente seja deslocada para os raios quando fora de ajuste.

18. Abraçadeira de selim: Peça que permite o aperto ou soltura do canote de selim para ajustes de altura do selim. Existem modelos com blocagem rápida que dispensam ferramentas para ajuste e outro modelo com parafuso.
Nome da peça em inglês: Seat Post Clamp.

19. Manete de Freio: Uma bicicleta possui duas alavancas ou manetes de freio que servem para acionamento dos freios dianteiro e traseiro da bike.
Nome da peça em inglês: Brake lever.

20. Canote de selim: Peça que se encaixa no quadro da bicicleta e fixa selim, possibilitando a regulagem de altura do banco.
Nome da peça em inglês: Seat Post.

21. Corrente: A corrente é um conjunto de elos metálicos e flexíveis que interliga a coroa da pedivela ao cassete ou catraca da roda traseira, formando assim, o sistema de tração da bicicleta.
Nome da peça em inglês: Chain.

22. Ou Cassete: Conjunto de catracas dentadas, encaixadas na roda-livre do cubo da roda traseira. Nas bicicletas mais antigas ou de baixo custo, existe outro tipo de sistema chamado catraca que é rosqueada ao cubo da roda traseira. A diferença entre cassete e catraca é que o cassete se encaixa nas estrias (freehub) do cubo da roda livre, sendo mais fácil a troca e manutenção, enquanto a catraca é rosqueada ao cubo de roda, ficando mais difícil sua retirada.
Nome da peça em inglês: Cassete e Catraca – Freewheel.

23. Ou Cubo: O cubo ou cubo de roda é a peça do meio da roda que é composto por um eixo com rolamentos ou esferas, possui 2 falanges metálicas onde são conectados os raios. O eixo do cubo é fixado no garfo através de porcas ou blocagem rápida.
Nome da peça em inglês: Cubo de roda – Hub e Blocagem rápida – Quick release.

24. Manoplas: Peças fixadas ao guidão destinadas a acomodar as mãos do ciclista, normalmente devem ser macias e confortáveis para evitar o cansaço ou dores nas mãos. Algumas possuem travas para dar mais estabilidade ao pedal.
Nome da peça em inglês: Grip.

2. Consertar um pneu furado de bicicleta.

Item prático.

Veja Como consertar pneu.

3. Desmontar, limpar, lubrificar e remontar uma bicicleta.

Item prático.

4. Ajustar os freios traseiro e dianteiro corretamente.

Item prático.

5. Conhecer e praticar as regras de cortesia e segurança do ciclismo.

Aqui estão 10 regras de ouro para andar com sua bicicleta na cidade!

1. Veja e seja visto dia e noite: Para manter sua segurança na bicicleta, é importante ver e ser visto pelos outros usuários da estrada. Luzes dianteiras e traseiras assim como retrorrefletores são obrigatórias para bicicletas. Para ter a máxima visibilidade, considere usar um colete ou jaqueta refletora ao andar em duas rodas.

2. Respeitar as placas de sinalização e o Código de Trânsito: De bicicleta ou de carro, o Código de Trânsito Brasileiro governa o tráfego. Você é obrigado a respeitá-lo, assim como as placas de sinalização. Não tenha maus e perigosos hábitos de bicicleta: É proibido andar nas calçadas ou na contramão, por exemplo. Você deve respeitar também os semáforos, as paradas e qualquer outra placa de sinalização.

3. Informar as mudanças de direção: Informe qualquer mudança de direção para evitar surpreender os outros usuários. Certifique-se de que nenhum carro o esteja ultrapassando se você virar à esquerda. Estique o braço e vá apenas se o caminho estiver livre.

4. Evitar ultrapassar pela direita: Evite ultrapassar pela direita de outro veículo, mesmo no semáforo ou em um engarrafamento. Você se expõe a riscos, especialmente quando ultrapassar ônibus e caminhões. Você pode surpreender o motorista e ainda entrar no ponto cego do seu veículo.

Se por engano, o motorista se afastar ligeiramente ou virar à direita, ele corre o risco de não te ver e você ser atropelado.

5. Prestar atenção aos outros ciclistas e pedestres: Andar de bicicleta na cidade é se deslocar em harmonia com os outros veículos e usuários da via. Preste muita atenção no movimento dos outros veículos, sejam carros, motos ou até mesmo outras bicicletas.

Trocar um olhar com os outros condutores permite, por exemplo, o melhor entendimento entre vocês. Ficar atento às pessoas na faixa de pedestres é um reflexo que você deve ter. Você estará pronto para frear, se necessário!

6. Manter uma distância segura: Como no carro, a segurança nasce a partir de bons hábitos. Além disso, mantenha sempre uma distância de alguns metros do veículo à frente. Acima de tudo, mantenha uma distância segura (mínimo 1 metro) de carros estacionados no meio-fio. Assim, você evita o risco de dar de frente com uma porta aberta indevidamente.

7. Usar um capacete, elemento de proteção essencial: Mesmo que por enquanto o capacete não faça parte dos equipamentos obrigatórios em uma bicicleta, o seu uso é fortemente recomendado durante todos os passeios na cidade. Não hesite: cuide de sua própria segurança e proteja-se.

8. Prenda sua bicicleta e evite os riscos: A fim de combater o roubo das rodas, certifique-se de seguir algumas regras para proteger adequadamente sua bicicleta:

• Prenda sua bicicleta em um ponto fixo;
• Para parada prolongada, prefira um cadeado de longa duração;
• Escolha um local que lhe permita estacionar bicicletas;
• Prenda sua bicicleta mesmo que por alguns minutos.

Atenção: muitas bicicletas estão equipadas com quick release nas rodas e assento. Lembre-se de também prender esses elementos ou opte por um sistema clássico de tranca.

9. Adapte suas roupas às condições climáticas da cidade: Para o máximo de conforto, adapte sua roupa de ciclismo às condições meteorológicas do dia! Em dias quentes, tenha o hábito de usar roupas de ciclismo leves e respiráveis.

Quando o frio chegar à ponta do seu nariz, use roupas quentes e confortáveis. Finalmente, para se proteger da chuva, opte por uma roupa de ciclismo impermeável (capas e calças de chuva). Não deixe de pedalar por causa do tempo: escolher o equipamento certo é o suficiente para se deslocar com “todo o conforto”.

10. Faça revisões e verifique regularmente sua bicicleta: Uma bicicleta requer algumas revisões e verificações regulares. Os dois elementos mais importantes para garantir a sua segurança são os freios e os pneus. Verifique regularmente a condição dos seus freios (cabos desgastados, pastilhas de freio, tensão dos cabos) e seus pneus (pressão, condição dos pneus).

6. Quais as vantagens de usar um capacete de ciclista?

R: Proteção contra traumatismo craniano e lesão cerebral

A função mais básica de um capacete é proteger a cabeça do ciclista contra impactos causados por tombos ou batidas em objetos, que podem resultar em traumas graves com consequências letais.

Ultimamente tem se falado mais e mais sobre a concussão em acidentes de bicicleta, que é a perda da consciência de curta duração, após bater com a cabeça. Essa situação muitas vezes pode ser evitada com o uso do capacete.

Proteção contra cortes e escoriações: O equipamento também pode ajudar bastante em trilhas com muitas árvores, situação em que bater a cabeça contra um galho mais baixo é bastante comum - sem o capacete, este tipo de incidente pode causar facilmente cortes na cabeça do ciclista ou até derrubá-lo caso um galho prenda nos cabelos.

Melhoria na aerodinâmica: Em muitas modalidades o capacete também tem a função de melhorar a aerodinâmica do ciclista, como podemos ver em provas de contra-relógio, onde o capacete ajuda a direcionar o fluxo de ar pelas costas do ciclista.


7. Percorrer 80 quilômetros consecutivos de bicicleta, em 10 horas ou menos.

Item prático – este preparado fisicamente e protegido adequadamente para esta atividade, e nunca vá sozinho.

8. Saber como ler um mapa para fazer o roteiro de seus 80 quilómetros, e seguir este roteiro com precisão.

Item prático.

Especialidade enviada pela colaboradora Alessandra Somolinos.

Fontes pesquisadas:
https://www.nucleobike.com.br
https://www.americanas.com.br
https://www.amazon.com.br
https://souesportista.decathlon.com.br
https://www.pedal.com.br

Gostou do conteúdo? Compartilhe para alcançar mais pessoas!

Caso tenha alguma sugestão ou precise de ajuda, me chama lá no Instagram do blog @desbrava7 e comente aqui qual especialidade você quer que eu poste.






Nenhum comentário:

Deixe um comentário. ♡