Especialidade de Ornamentação com Flores Respondida - Desbrava7 | Especialidades Respondidas | Desbravadores

Especialidade de Ornamentação com Flores Respondida

em 4/13/2020

FLORES

Especialidade de Ornamentação com Flores, se você não tem, vamos mudar isso!

Especialidade de Ornamentação com Flores



1. Citar o nome de 6 espécies de flores perenes e de 6 espécies de floração anual que sejam apropriadas para a ornamentação interna.

Flores perenes: Astromélia, Áster, Nêveda, Coreópsis (margarida amarela), Lavanda, Miosótis.
Flores de ornamentação interna: Begônia, Violeta, Bromélia, Azaleia, Orquídea, Antúrio.

2. Citar o nome de, pelo menos, 3 espécies que florescem na primavera ou no inicio do verão, que sejam apropriadas para a ornamentação interna.

R: Orquídea, Lírio, Tulipa.

3. Citar o nome de, no mínimo, 3 flores que não se conservam bem após cortadas e de 3 que se conservam bem após o corte.

Não se conserva bem: Crisântemo, Gérbera e Begônia.
Se conserva bem: Petúnia, Orquídea e Crisântemo.

4. Apresentar 6 sugestões para o corte de flores e cuidados após o corte, bem como quando cortar, como cortar e como mantê-las.

1ª sugestão: Os períodos ideais para compras são pela noite, madrugada e manhã. Nessas horas, mais frescas, as plantas resistem mais à manipulação e ao transporte.

2ª sugestão: Escolha sempre flores em ótimas condições com hastes verdes e firmes, sem partes amolecidas ou amareladas e pétalas vistosas, sem amassados ou manchas.

3ª sugestão: Escolha preferencialmente flores em botão, mas preste atenção aos botões grandes e bem formados. Botões muito pequenos podem apodrecer e cair antes mesmo de desabrocharem.

4ª sugestão: Jamais compre flores ou folhagens murchas, com a esperança de reanimá-las. Você pode até conseguir, mas certamente sua durabilidade estará comprometida.

5ª sugestão: Se você não puder preparar os arranjos imediatamente após a compra, guarde as flores na gaveta de frutas e legumes do refrigerador, com exceção de orquídeas, camélias, ou flores tropicais.

6ª sugestão: Corte em um dedo ou mais, a haste das flores e folhagens. Realize o corte em diagonal com tesoura ou estilete bem afiado e preferencialmente sob a água. Este cuidado evita que durante o corte formem-se bolhas de ar nos canais vasculares da planta, reduzindo assim sua capacidade de absorção.

5. Em que estágio de desenvolvimento deve-se cortar as Rosas, Palmas de-Santa-Rita (Gladíolo) e Dálias?

Rosa: Uma vez ao ano, de preferência entre o final de junho e o começo de julho (nas regiões mais quentes do país) ou no começo de agosto (nas cidades de inverno mais rigoroso). A poda de formação serve para que a planta produza novos galhos e esteja bem florida na primavera e no verão. Corte bem embaixo, 5 gemas acima do solo. Faça a poda num dia fresco, de preferência manhãzinha, cortando sempre na diagonal, perto de uma gema.

Palmas-de-Santa-Rita: As espigas florais dos gladíolos devem ser colhidas preferivelmente de manhã ou à tarde, quando a temperatura é mais favorável. Para o mercado interno, a espiga deve ser colhida quando surgir a coloração do botão. Para exportação, a espiga deve ser colhida quando apresentar o máximo de desenvolvimento, porém, sem o surgimento da coloração no botão. O corte deve ser feito bem na base da planta, evitando-se, ao máximo, a retirada de folhas, pois a planta continuará vegetando até o final do ciclo quando os bulbos serão colhidos.

Dália: Os tubérculos de uma planta antiga podem ser divididos, se for tomado cuidado para que cada divisão contenha um botão; os botões surgem na “coroa” ou na base do caule antigo. No final de julho, as plantas estarão crescendo rapidamente, e esta é a hora de desbastar os brotos. Quase todos os brotos laterais devem ser removidos. Além disso, assim que os primeiros botões aparecem, eles devem ser rigorosamente adelgaçados e, neste estágio, o esterco líquido pode ser dado às plantas a cada rega alternada. Pode ser preciso podar suas dálias para remover pragas ou doenças. Quando a dália começar a crescer, ela desenvolverá quatro conjuntos de folhas. Cortar a parte superior da planta acima do quarto conjunto de folhas estimulará o crescimento de novos ramos, resultando em uma planta mais volumosa e, portanto, com mais flores. Nesse ponto do ciclo de crescimento, as dálias estão germinando rapidamente, portanto a sua recuperação também será rápida. Você pode continuar removendo novos ramos ao longo do período de crescimento para estimular ainda mais a floração. Novos ramos podem ser removidos facilmente com o dedo indicador e o dedão, embora você também possa utilizar uma tesoura de poda afiada. Corte as flores com uma tesoura de poda assim que elas começarem a murchar. A prática de remover flores murchas — também chamada de “deadheading” — estimula o crescimento de mais flores. Você poderá ver a sua dália brotando até o outono se remover as flores murchas ao longo do período de crescimento.

6. Apresentar 3 sugestões sobre a relação dos recipientes com as flores usadas e 3 sugestões sobre a relação do arranjo de flores com a sala e os móveis da mesma.

1º : Os cuidados devem começar na seleção de flores saudáveis e na escolha de plantas duráveis, é importante checar previamente se a planta não tem flores secas ou murchas e se não há sinais de doenças, pragas ou danos físicos.

2º: Verificar se as flores estão devidamente limpas e embaladas. Caso adquira flores murchas, não é possível reavivá-las. Talvez consiga até melhorar o aspecto visual delas, mas a durabilidade certamente estará comprometida.

3º: Uma prática fundamental para ajudar a tornar as flores menos perecíveis é fazer um corte de dois centímetros na base, em sentido longitudinal. Isso serve para aumentar a área de absorção de água pelas hastes. Mas, atenção: o corte deve ser feito com tesouras ou facas bem amoladas para não esmagar os tecidos das hastes, predispondo-as ao apodrecimento precoce. “Se for possível realizar o corte com o caule mergulhado na água, melhor será a absorção de água por parte da planta”.

Faça um corte de dois cm na base da flor para aumentar a absorção de água

Independente do tipo de flor e do arranjo é fundamental retirar todo o excesso de folhagem que possa ficar sob a água para evitar apodrecimento e mau cheiro. Pelo mesmo motivo, com o passar dos dias, deve-se eliminar as folhas e pétalas murchas.

De forma geral, a vitalidade das flores fica bastante comprometida quando há exposição a climas extremos, sobretudo em ambientes muito secos, com ar condicionado, com muito vento ou mesmo muito quentes. Esse tipo de situação acelera a deterioração das flores. Portanto, se a intenção é fazer com que a flor dure, o ideal é mantê-la em ambientes frescos e sombreados. Pode se colocar no centro da mesa de jantar, na mesa da sala de estar e nunca que a altura das flores obstrua a visão da pessoa a sua frente. Pode ser colocada no chão ao lado do sofá próximo a parede.

7. Na ornamentação com flores, qual deveria ser a relação entre as cores mais escuras e mais claras, flores maiores e menores, abertas ou parcialmente abertas?

R: Harmonia. Evitar a colocação maciça de cores escuras no topo e as claras na base. O equilíbrio simétrico é criado pela colocação de flores similares na mesma posição de cada lado do centro vertical. Por conseguinte, formas escuras e formas grandes, dispostas bem baixas de um dos lados do arranjo, equilibram uma área maior de formas mais claras e menores do outro lado. A repetição de determinado formato, ou a combinação de cores de valor relacionado, cria uma linha harmoniosa, ou ritmo. Também o princípio da escala tem de ser observado. Isto significa que deve existir uma relação apropriada entre os tamanhos das plantas e o tamanho do recipiente.

1. Use hastes compridas de flores pequenas, e botões fechados para suprir as linhas longas. Também servem como material para suprir volume.

2. Quanto ao peso e à estabilidade, coloque flores grandes e os materiais escuros na composição.

3. Não coloque uma flor logo acima da outra. Exceto nas composições simétricas modernas, evite a precisão geométrica.

4. Para ter harmonia, sempre use cores em massa ou em ramalhetes, jamais espalhadas sem pensar.

5. Sempre tome cuidado de criar três lados de seu arranjo, visto que o observador pode ver a frente e os dois lados.

6. Dê ao arranjo um efeito tridimensional por inclinar algumas flores e folhagem para os lados. As grandes composições parecem mais ricas se alguns feixes de flores e folhas forem virados para o lado, e curvados para trás, a partir da seção central.

8. Fazer 2 arranjos de flores para cada uma das áreas a seguir:

Item prático.

a) Decoração da sala.
b) Uso geral na casa.
c) Local público.



9. Quais são algumas das flores silvestres que podem ser usadas na ornamentação de uma casa?

R: Violeta, Margarida do campo, Lírio, Azaleias, Flor do Campo, Gérberas, Cravinas, Crisântemos, Centáurea, Cravos, Mandibas, Dente-de-Leão, Girassol, Hortênsias e Tulipas.

Fontes pesquisadas:

-- ♥ --

Especialidade enviada pela desbravadora Alessandra Somolinos, obrigada! 

Se você também quiser colaborar com o D7 enviando alguma especialidade que ainda não tem no blog, é só enviar para o e-mail desbrava7blog@hotmail.com

Se inscreva no canal e fique por dentro de todo conteúdo!


Baixe a Especialidade.
Clique aqui e baixe a especialidade SEM RESPOSTAS.
Clique aqui e baixe a especialidade COM RESPOSTAS.

Lembre de adicionar suas respostas ao relatório, fiz ele no word para que você pudesse editar do seu jeitinho. Qualquer dúvida, me procurem!

Nenhum comentário:

Deixe um comentário. ♡