Especialidade de Nós e Amarras Respondida

em 14 de maio de 2018

Especialidade de Nós e Amarras Respondida
Especialidade-de-Nos-e-Amarras-Respondida
Especialidade de Nós e Amarras, essa estava aqui quase pronta, ela é bem simples e acredito que TODO desbravador precisa ter essa especialidade. Então, vem conferir e não esquece de compartilhar com seus amigos!

Especialidade de Nós e Amarras



1. Definir os seguintes termos:

a) Seio (laçada).
R: O nó corrediço é o que representa melhor a laçada. Sua principal característica é o fato de que, quando a extremidade é puxada, o nó se desfará, desde que não haja objeto dentro do laço.

b) Ponta corrediça (vivo).
R: É a ponta com a qual formamos o nó.

c) Corda restante (ponta fixa).
R: Parte do cabo que não é usada como ponta de trabalho.

d) Nó superior.
R: Nó principal, utilizado para iniciar um nó, também conhecido como Simples.

e) Alça de azelha ou laçada com nó.
R: Um nó simples que forma a alça. Usado como complemento para amarrações; para formar uma alça; isolar uma falha no cabo e ancoragem.

f) Volta ou laço.
R: Toda vez que a laçada da corda envolve um objeto para se fazer o nó.

g) Curva ou dobra.
R: Formação paralela da corda, aplicada a qualquer parte dela.

h) Amarra.
R: Utilizada para unir madeiras para a construção de móveis e utensílios rústicos.

i) União de cordas.
R: Junção de cordas através de dobras, e não das pontas (fixa ou vivo).

j) Chicote ou ponta de trabalho.
R: É a parte que sobra da corda após o nó. É utilizada no manuseio ao fazer o nó.

2. Conhecer os cuidados para conservação das cordas.

Desenrolar a corda com cuidado antes do uso.
Se a corda molhar, deixe secar na sombra.
Não marque a corda com canetas comuns.
Evite transportar sua corda do lado de fora da mochila.
Não pise na corda.
Jamais guarde a sua corda com nós caso não seja necessário, para não danificar a sua corda pelo "vício" inapropriado de suas fibras.
Evite realizar rapéis rápidos para não acelerar o desgaste da corda e superaquecer o descensor, que poderá derreter os tecidos. 
Em atividades aquáticas, cuidado redobrado com as arestas cortantes, pois a corda molhada perde resistência e torna-se muito mais sensível à abrasão neste estado.
Após cada utilização, vistorie visualmente e manualmente toda a extensão de sua corda em busca de possíveis deformações, desfiados ou cortes. Na dúvida, jogue fora a corda.
Você pode limpar a sua corda com um pano úmido. Caso seja realmente necessário, lave-a com água fria, de preferência sem cloro. Se a sujeira estiver muito impregnada (muita terra, areia), deixe de molho por umas duas horas em água aquecida a no máximo 30ºC. Depois, esfregue levemente a corda entre si, com sabão neutro e auxílio de uma escova sintética de cerdas macias.
Evite esfregar ou jatear água para não introduzir minúsculas partículas minerais no interior da corda, incapazes de realizar estragos a olho nu, mas que poderão romper os delgados filamentos de poliamida da alma, diminuindo parcialmente as suas capacidades de absorção de energia e a sua resistência à ruptura.

3. Descrever a diferença entre a corda estática e dinâmica. Listar, pelo menos, três usos para cada uma.

R: Nas cordas estáticas, os fios da alma são lisos, dando-lhe a elasticidade natural do Nylon (1 ou 2% quando submetido ao peso médio de uma pessoa). Já nas cordas dinâmicas os fios são um conjunto de cordinhas torcidas ou trançadas e este é o segredo para a absorção de choques, com a elasticidade de cerca de 6 a 10%, ao peso de uma pessoa normal.

A corda estática não tem elasticidade, o que não é desejável numa escalada, onde a pessoa pode cair e com o impacto da queda com a corda, pode quebrar ossos. Já com a corda dinâmica, a elasticidade minimiza o risco. Já num transporte de carga, a corda estática é melhor justamente por não ter elasticidade, o que é indesejável nesta situação.

Estática: Rapel, resgate, big-walls, e operações táticas e de segurança industrial.
Dinâmica: Alpinismo, escaladas e serviços de segurança nas atividades de salvamento.

4. Identificar os tipos de cordas a seguir. Faça um relatório descrevendo os pontos negativos e positivos para o uso de cada uma:

a) Poliéster.
R: O ponto forte desta corda é sua resistência a tração, ótima flexibilidade e boa resistência a abrasão. Também apresenta resistência a absorção de água quando molhada. Utilizadas em Escaladas, Rapel, etc. 

b) Sisal.
R: São fabricadas em diversas medidas. São ásperas e muito usada para decoração de ambientes, corrimões, para cargas, construção civil, etc., apesar de serem cordas que estragam quanto ficam expostas ao tempo, seu baixo custo é uma de suas características.

c) Nylon.
R: Resistente aos Raios UV, alta absorvição de água (flutuabilidade negativa), alta resistência a tração. São utilizadas para trabalhos em altura, salvamento, rappel, alpinismo, tirolesa com alma de aço, arborismo, pontes, escadas, náutica, etc.

d) Polipropileno.
R: Possui pouca resistência à abrasão, assim, deve ser protegida contra o atrito. Cordas de polipropileno podem ser trabalhadas e entrelaçadas com relativa facilidade, uma vez que apresentam um bom tato. Uma das vantagens das cordas em polipropileno é a flutuabilidade, ideal para lançamento de boias de salvamento e para esquiar.

5. Quais são algumas vantagens e desvantagens da corda sintética?

Vantagens: Sua durabilidade é maior, assim como sua resistência a impactos e abrasão também. Não retêm água e suportam temperaturas elevadas e são mais leves e praticas pra carregar.

Desvantagens: Requerem maiores cuidados para sua conservação, seu custo é mais elevado que as de origem vegetais. Também são mais sensíveis a ação do sol.

6. Segundo a Bíblia, qual o tipo de corda estática é mais resistente? Citar livro, capítulo e versículo.

R: "E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa." Eclesiastes 4:12

7. Faça o seguinte em uma corda:

Item prático.

a) Nó Costura singela ou costura curta (Splice).
b) Nó Costura de alça (eye Splice).
c) Nó Costura em pinha ou falçada inglesa (black Splice).
d) Finalizar a extremidade de uma corda com uma Pinha de rosa dupla, falcaça, ou Nó de Mathew Walker.
e) Pinha Singela.
f) Nó de porco.

8. A partir de materiais encontrados na natureza, ou com barbante, fazer duas cordas com, pelo menos, 2 metros cada:

Item prático.

a) Uma de três fios.
b) Uma com trançado triplo.

9. Descrever, pelo menos, 3 plantas que podem fornecer material para a confecção de uma corda.

R: As folhas de Algodão, Cairo e Juta são ótimas para confeccionar cordas.

10. Fazer de memória, pelo menos, 20 dos nós abaixo, falando ao avaliador o nome, para que serve e suas limitações. Fazer um relatório descrevendo cada um, citando para que serve e situações em que deve ser usado:

a) Nó Fateixa.
R: Usado para unir a corda a uma argola.

b) Lais de Guia (nó bolina).
R: Salvamentos, pois a corda não aperta o ventre da vítima.

c) Lais de Guia Duplo.
R: Salvamentos. Na verdade é uma cadeira de salvamento ajustável.

d) Nó Quadrado.
R: Geralmente utilizado para propósitos decorativos.

e) Nó Cego.
R: Não serve para nada, é escorregadio e é ensinado para não confundir com o direito.

f) Nó de Carrasco (de Forca).
R: Este é um nó de laço muito forte, destinado a resistir a pesados choques de cargas. Ele não desliza facilmente e é pré-ajustado ao tamanho necessário.

g) Nó Borboleta.
R: O melhor nó para fazer uma volta que não corre, no meio da corda.

h) Nó de Espia (nó ordinário ou nó de ajuste ou calabrote dobrado).
R: Emendar cabos duros ou secos.

i) Nó Constritor (nó de contração ou volta da fiel duplo).
R: Utilizado para encurtar cordas.

j) Nó de Espia Duplo (nó ordinário duplo).
R: Emendar cabos duros ou secos.

k) Nó Oito.
R: Utilizado em escaladas, por alpinistas.

l) Nó de Pescador.
R: Unir duas cordas finas, como as de pesca.

m) Nó de Pescador Duplo.
R: Unir duas cordas finas, como as de pesca, com maior reforço.

n) Volta do Caçador (nó de Hunter).
R: Unir cordas de maior diâmetro.

o) Nó Volta do Gato (nó Pata de Gato).
R: Unir a corda a uma argola.

p) Nó Torto (Nó cego, ou Nó Esquerdo).
R: Parecido com o direito, evitar seu uso pois, é escorregadio.

q) Volta de Fiel.
R: Começar amarras.

r) Nó Prussik.
R: Utilizado em escaladas, trava na pressão e solta se liberado.

s) Lais de Guia de Correr (Lais de Guia Corrediço).
R: É um tipo de Nó de Forca, estruturalmente relacionado com o Nó Lais de Guia padrão.

t) Cadeira de Bombeiro (catau de marinheiro).
R: Salvamento.

u) Catau.
R: Encurtar cordas e preservar locais danificados da corda.

v) Nó de Escota.
R: Unir duas cordas de diâmetros diferentes.

w) Nó de Correr (nó corrediço).
R: Uma laçada rápida, para prender, por exemplo um animal numa estaca ou poste.

x) Nó Direito.
R: Amarrar pacotes e terminar amarras.

y) Nó Cirurgião.
R: Utilizado para fechar pontos de cirurgias.

z) Volta da Ribeira.
R: Amarrar a corda num tronco e transportá-lo.

aa) Meio-nó Superior (Nó Único Para Empate).
R: É o conhecido Nó simples, usado principalmente para iniciar o nó direito e para marcar uma corda.

bb) Nó Alceado.
R: Para unir cabos não escorregadios de diâmetros semelhantes. Possui a comodidade das alças facilitarem o desate.

cc) Nó Volta paradora (Volta redonda).
R: É um nó de laço ajustável para utilizar em cordas sob tensão.
dd) Nó de Frade.
R: Nó utilizado como ornamentação no cordão que envolve a batina dos frades franciscanos. Trata-se de uma variação do Nó simples acrescendo a ele uma volta a mais. Um uso prático é criar apoios em uma corda lisa para facilitar a subida ou descida de uma pessoa. Aplica-se em cabos lisos ou escorregadios.

ee) Nó encapeladura (nó de algema).
R: Pode ser usado para descer ou guindar uma pessoa, fazer correias para puxar uma carroça ou para fazer uma dupla arreata para animais.

ff) Nó UIAA (Nó meia volta do fiel)
R: Nó descensor feito com o uso de um mosquetão, utilizado nas técnicas verticais em substituição aos aparelhos de descida como o oito, o rack, o Petzl stop entre outros. Funciona criando atrito na corda e reduzindo a velocidade de descida. Reduz igualmente a velocidade da corda em ambos os sentidos.

11. Fazer corretamente as seguintes amarras:

Item prático.

a) Amarra quadrada.
b) Amarra diagonal.
c) Amarra paralela ou redonda.
d) Amarra contínua simples.
e) Amarra contínua dupla.

12. Fazer um quadro com, pelo menos, 25 nós.

Item prático.

-- ♥ --
Gostou da especialidade, te ajudou ou tem alguma dúvida? Deixe nos comentários.

Se inscreva no canal e fique por dentro de todo conteúdo!


Baixe a Especialidade.
Clique aqui e baixe a especialidade SEM RESPOSTAS.
Clique aqui e baixe a especialidade COM RESPOSTAS.

Lembre de adicionar suas respostas ao relatório, fiz ele no word para que você pudesse editar do seu jeitinho. Qualquer dúvida, me procurem!

Nenhum comentário:

Deixe um comentário. ♡